Prefeitura promove passeata pelo ‘Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes’

A Prefeitura Municipal de Iguatu, através da Secretaria da Assistência Social realizou nessa quinta-feira, dia 18, uma passeata em apoio ao ‘Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes’. O evento faz parte de uma série de atividades que vem sendo realizadas durante todo mês de maio nos Centros de Referência da Assistência Social – CRAS, no Centro de Referência Especializado de Assistência Social – CREAS e nas escolas da rede pública municipal. Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes é comemorado no Brasil há 17 anos a partir da aprovação da Lei Federal nº. 9.970/2000. A campanha tem como slogan Faça Bonito – Proteja nossas crianças e adolescentes, quer chamar a sociedade para assumir a responsabilidade de prevenir e enfrentar o problema da violência sexual praticada contra crianças e adolescentes não só em Iguatu, mas em todo Brasil.

O evento contou com a presença do prefeito em exercício, Mario Rodrigues, da secretária da Assistência Social, Eliane Braz, do secretário adjunto da pasta, Cristiano Martins, da secretária da Educação, Elizangela Medeiros, do secretário de Trânsito e Segurança, Antônio Filho, do vereador Joaquim Ribeiro, além de diversos estudantes da rede pública e profissionais da assistência social.

Diferença entre Abuso e Exploração Sexual

É considerado abuso sexual de crianças ou adolescentes quando há o envolvimento sexual de uma criança ou adolescente menor de 18 anos com adulto ou pessoa significativamente mais velha.

É considerada exploração sexual de crianças ou adolescentes quando se paga ou oferece algo em troca para realizar qualquer pratica sexual com a pessoa de idade inferior a 18 anos.

Denúncias

Atualmente existem diversas formas de denunciar o abuso e exploração sexual no Brasil. Uma delas é por meio do “Disque 100”, criado pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. Trata-se de um serviço de recebimento, encaminhamento e monitoramento de denúncias de violência contra crianças e adolescentes. Outas maneiras de formalizar a denúncia é procurando os serviços do CRAS, CREAS, Conselho Tutelar ou até mesmo em uma Delegacia.

Segundo dados da Secretaria de Direitos Humanos, de março de 2011 a março de 2016, o “Disque 100” recebeu 52 mil denúncias de violência sexual contra este público, sendo que 80% das vítimas são do sexo feminino.