Sucesso na construção civil em Iguatu é fruto de diálogo direto com os construtores, diz prefeito

O município de Iguatu, desde janeiro de 2017, tem lançado um olhar atencioso ao setor da Construção Civil, que nos últimos anos alavancou e aqueceu a economia local, gerando emprego e renda de forma direta e indireta. Desde o início do seu mandato, o prefeito Ednaldo Lavor tem recebido em seu gabinete a Associação dos Construtores do Centro-Sul (ACCS) e seus representantes em um diálogo constante com a categoria.

De acordo com o gestor, o segmento tem uma relevância impar na economia do município. “A nossa Gestão tem buscado, sempre, com as mais diversas ações, desde o início, ouvir as críticas da entidade, a exemplo da apresentação das 12 ações necessárias para o desenvolvimento do setor. Buscamos atender a todas, dentro do possível, sempre observando a responsabilidade para com a gestão pública, fazendo, inclusive, desde a contratação de colaboradores efetivos que pudessem desenvolver um melhor trabalho técnico demandado pelo setor, até uma ação inédita e nunca vista no passado, que foi a redução de tributos para incentivar a classe”, destacou Lavor.

Neste momento, o prefeito acompanha de perto mais um desafio enfrentado pelo setor, quando ainda não foi disponibilizado, neste início de ano, os recursos para contratação de imóveis pelo Programa Minha Casa Minha Vida – Faixa 02, que é a mais utilizada pelos clientes que adquirem imóveis em Iguatu.

Conforme o gestor, isso gerou uma preocupação muito grande, pois havia o pensamento de que o momento seria igual ao vivenciado em outubro de 2017, quando não existiam recursos para financiamento. “Só ficamos mais tranquilos quando tratamos de buscar a origem do problema junto Caixa, entidade operadora do Programa, e a ACCS, que há quase uma década vem fazendo um trabalho exemplar em prol da categoria, sempre pautando críticas e sugestões da maior utilidade, quando se tem a humildade de absorvê-las, como fizemos sempre. Conseguirmos entender o que é realmente o problema para buscarmos ajudar em uma solução. O problema, segundo conseguimos apurar com as entidades citadas acima não é falta de recursos, mas de um ajuste administrativo do novo Governo Federal, já que o Ministério das Cidades, que era o detentor dos recursos, foi extinto e no momento se aguarda o repasse ao novo Ministério do Desenvolvimento Regional, cujos tramites burocráticos se aguardam”, disse o gestor municipal.

Há a informação de que a Associação dos Construtores do Centro-Sul não participará, temporariamente, de manifestações públicas em praças públicas por orientação da Federação Nacional dos Pequenos Construtores (FENAPC), federação a nível nacional que os representa com agendas quase diárias em Brasília, e que buscará centrar seus esforços em ações mais direcionadas, com parlamentares e poder público a quem tem acesso, tentando atingir uma solução mais ágil.

Diante desse contexto, o prefeito Ednaldo Lavor e sua equipe de governo já entraram em contato com a diretoria da ACCS e se colocaram à disposição com o objetivo de somar forças e de fazer o que for necessário, no intuito de buscar soluções não só para este problema pontual, mas para fazer com que este setor continue com a sustentabilidade que gera tanto emprego e renda para o município.

CLOSE
CLOSE